Category Archives: Sketchbook Susana Rapallo

Sketching blog from Susana Rapallo, traveling and exploring art on anything that moves me.

SRapallo, untitled, soft pastel and pen, Brazil, 2020.

Children and the pandemic/pandemonium world

2020, 14th June

What will be their future after this terrible pandemic?

In these series I’m depicting poor children with amazing resiliency and strength to survive, even in hard conditions. But this shouldn’t be like this if the rich countries were willing to help them.

We are living an unprecedented realignment of daily life, tend to children to absorb their parents’ tensions, and also deal with anxieties of their own.

I pray to God to give more consciousness to all world’s governments.

Logo

Available artwork at

https://www.saatchiart.com/susanarapallo

SRapallo, Facing covid-19, watercolor, Brazil, 2020

Facing pandemic

April 15th, 2020

It’s pretty much like this that I’m coping with the social distance. In a way I think we all feel like there is a wall between us and the rest of the world, in times of Covid-19. A invisible wall protecting us from the disease, but also avoiding us to get contact with family and friends. And also travel plans had to be re-consider. I was planning to go to Italy in February and thanks God I had to cancel that trip in time.

It’s scary to imagine that the virus is spreading and getting close to us. It has brought entire countries to be on quarantine, but thanks to technology we still feel like connecting with others.

I personally think that my house and my art studio is the best place to be, having a pandemic or not. I practically “pay” not to leave my house.. so, I just love being at home. But even if I’m a a type of person of Home Sweet Home, the house is getting smaller after 3 weeks!!

My children are already grown ups and I don’t need to be a homeschooling teacher. Now we valued teachers eve more, right?

And thanks to the healthy care people who are fighting this battle on the front line. Maybe now governments will prioritize hospitals and health care other than football stadiums, is Brazil’s case.

Stay safe everybody!

Logo

É mais ou menos assim que me sinto lidando com esse distanciamento social imposto pela Covid-19. De certa maneira, todos nós sentimos como se houvesse uma parede entre nós e o resto do mundo. Uma parede invisível nos protegendo dessa doença, mas nos separando de ter contato com a família e amigos, Planos de viagem também tiverem que ser reconsiderados. Eu havia planejado ir para a Itália em Fevereiro e graças a Deus cancelei a viagem em tempo.

É assustador imaginar que o vírus está se espalhando e chegando perto da gente. Isso levou países inteiros a adotarem a quarentena, mas graças à tecnologia, nos sentimos perto uns dos outros.

Eu, pessoalmente, penso que minha casa e meu atelier é o melhor lugar do mundo para estar, haja ou não pandemia. Eu praticamente “pago” para não sair de casa, eu adoro ficar em casa. Mas mesmo sendo adepta do Home Sweet Home, a casa está ficando pequena depois de 3 semanas.

Merus filhos já são adultos e não preciso ajudá-los com a escola em casa. Acho que agora damos mais valor aos professores, certo?

E acrescento meus sinceros agradecimentos ao pessoal da saúde, que estão na linha de frente nessa guerra. Quem sabe os governantes irão priorizar hospitais e áreas de saúde ao invés de campos de futebol, no caso do Brazil.

Que todos estejam seguros!

SRapallo, Abigail, watercolor and pencil, Brazil, 2020

Abigail the ballerina plant

Abigail is a little plant that always dreams she was dancing. She wanted to be a ballerina and she had all the qualities of a good one. She was skinny, had long skinny legs, very graceful arms, a delicate face and a proportional head too. If she were a real person she would certainly be a “prima ballerina” in any ballet school in the world.

But she was confined in that potted plant, she could only elevate her arms, move her head a little and dance, normally to the sun. The sun was always watching her. He could see her moving her little head and arms, feeling blessed by the warm sunlight that gives her tons of energy to move, even if it’s almost imperceptible movements. Imagine the effort a plant needs to move her head and arms… sometimes a little breeze helped her, of course. We all need a little push now and then, but sometimes there was no breeze at all or sometimes it was not just an innocent breeze, better described as a mild wind or a rainy one. In that case, her dancing would be more energetic, uncontrollable and even scary if the rain was too strong for her delicate arms. Most of the time the wind, in the true spirit of nature solidarity, wanted to help her with her movements, but a wind’s gotta do what a wind’s gotta do!

No, she wants to choose when to dance, where to dance and how to dance. Her most inner desire was to get out of that potted plant. Abigail was not “born” in that potted plant. She was accidentally misplaced with a fruit tree that Susana bought for her house. She was still a little seed inside that big potted plant that came with the jabuticaba tree. No one knew she was there, protected by the wooden ships the garden store had put on the top of the pot. And as we let nature do what nature does best, she kept growing and growing, receiving all the nutrients she needed.

And then one day, and we don’t know how long it took her to grow because plants don’t count days as we do, she saw the outside world for the first time. What a wonderful surprise!!! The light, the beautiful light and the blue sky and the other big tree that was her neighbor – from her point of view the jabuticaba was so, so big – and she was as happy as a plant can be when everything she needs is provided. And the sun, the warm sun… bright, big and powerful sunlight that makes her grow even faster and stronger. She was blessed she thought.

Her keeper, Susana (we humans think we own things but we are just keepers, everything is transitory, including ourselves), was at the hospital again, fighting against her second cancer and her daughter gave her an orchid planted in a white vase. Orchids are absolutely beautiful and exotic, but they don’t last long and Susana still doesn’t know how to replant them. So, when the orchid dried, she took her out and decide to give to that little plant her own pot.

Abigail was amazed by her new home. From her own pot she could see the jabuticaba tree and also Susana’s kitchen garden on the opposite side. From that new spot she received more sunlight and this was awesome! It was this time she started having those weird ideas about moving herself when she constantly saw people moving around on the street. Yes, she could see the street now – young children riding bicycles, old people, couples walking, going she didn’t know where and doing she didn’t know what. Her curiosity started to itching her really badly. Abigail wondered what makes people move? And run!!.. she could even see children playing with a round a object, running and screaming at the condo in front of hers. What do they possess that I don’t?

SRapallo, Abigail, watercolor and pencil, Brazil, 2020
SRapallo, Abigail, watercolor and pencil, Brazil, 2020

Legs, of course, she thought. But she knew she had legs too, she could feel them inside the earth – her roots – of course plants have legs too, but they just are not allowed to move them outside the earth. This is a common knowledge – one of the incontestable rules of nature. But in her dreams she could move her legs, she could get out of that container and dance and jump and move her entire body. For god’s sake she was a ballerina!!! And ballerinas moves all their bodies in graceful movements and energetic postures, from their head to their small fingers. If in her deepest inner soul she was a ballerina, so, why all those physical limitations?

One day something special happened. Something special always happens for the special ones!!! An accident, an unexpected accident involving the cat. Yes, there is a cat living at that house too. And there is a bird, in fact two birds that comes regularly to eat the jabuticabas and we all know that cat loves to catch birds – if they are fast enough to complete this task. But Chunks, the cat, was an old cat already and his reflexes were not as good as they were some fifteen years ago.

Susana didn’t see the scene, but Abigail, who was involved in the accident, saw everything. Chunks got a glimpse at the bird, he was sitting in the garden chair next to the table where Abigail was, and then he jumped over the table to catch the bird and accidentally knocked over the pot where Abigail was. What a shock!!! She almost broke her delicate leaves.

A miracle happened… she could move her roots and dance. She was able to get off the pot plant and dance!!! And so she did, she danced and danced all night long. She decided she was never going back to that pot plant. Her most inner desire was dancing and she was just doing it. But she dances so much that she was getting exhausted, her feet starts to shaking, she was feeling weak, so much weak. Now she could barely move! she collapsed by exhaustion! She needs earth and minerals and water…. but she was unable to move her legs anymore. She thought if she could just rest a little bit she would be fine… but she was in serious conditions, almost dying in fact.

The next day Susana woke up and saw the whole catastrophic scenario: the broken pot, the plant and, of course, the cat, Chunks, with the most innocent face!! She was afraid the plant was damage for good, but she decided she would try to replant it. After all it would worth a trial.

Abigail was still weak but after a day or two she was fine again. Happy as ever because she had her dream come true and she was healthy again. Now, at night she keeps looking at the moonlight and dreaming about getting out and dance again! Well, she learned a lesson, but she was willing to try that magical experience again if she had another miracle chance. And we all know that miracles happens now and then for the ones who believe in those silly things.

Logo

Notes: This is a work of fiction, but the pot plant, the jabuticaba tree and the cat are real. Abigail is real too and she still thinks she is a ballerina.

Copyright 2020 by Susana Rapallo

Abigail

SRapallo, photo, Brazil, 2020

Abigail a planta bailarina

(texto em Português)

Abigail era uma plantinha que sempre sonhou que podia bailar. Ela sempre quis ser uma bailarina e possuia todas as qualidades para ser uma das boas. Ela era magra, tinha longas pernas, braços expressivos, uma face delicada e uma cabeça bem proporcional também. Se ela fosse uma humana real, certamente poderia ter sido uma “prima ballerina” em qualquer escola de ballet do mundo.

Mas ela estava confinada a viver naquele pote de planta, como planta era, ela somente conseguia erguer suas pétalas superiores, mover levemente a cabeça e fazer pequenos e imperceptíveis movimentos de dança para o sol. O Sol estava sempre vendo-a dançar. Ele podia vê-la movendo sua pequena cabeça e braços, sentindo-se abençoada pelos raios solares que lhe davam muito energia, essencial para esses nesses pequenos e imperceptíveis movimentos. Imagine o esforço que uma planta precisa para mover seus “braços e cabeça” .. às vezes ela podia contar com a ajuda de uma pequena brisa, claro. Nós sempre precisamos de um empurrãozinho de vez em quando, mas havia dias que ou não tinha brisa nenhuma ou, ao contrário, podia ter muita ventania, às vezes com chuvas. Nesses casos, sua dança era mais energética, incontrolável e até mesmo amedontradora para seus pequenos “braços” delicados. Na maioria das vezes, o vento, num verdadeiro espírito de solidariedade, tentava ajudá-la em seus movimentos, mas, os ventos são ventos e fazem os que os ventos devem fazer!

Não, ela queria escolher quando dançar, aonde dançar e como dançar. Seu mais profundo desejo era poder sair daquele pote de planta. Abigail não brotou naquele pote. Ela veio, acidentalmente, junto com o vaso enorme da jabuticabeira que Susana comprou para sua casa. Ela era apenas uma sementinha escondida dentro do vaso da jabuticabeira. Ninguém sabia que ela estava ali, protegida pelas lascas de casca de árvore colocadas no topo do vaso pelo jardineiro. E, quando a gente deixa a natureza fazer o que ela sabe fazer de melhor, assim ela ficou, escondida, crescendo e recebendo todos os nutrientes que precisava.

E um dia, e não se pode saber quanto tempo levou porque as plantas não contam o tempo como nós fazemos, ela viu o mundo exterior pela primeira vez. Que surpresa maravilhosa!! A luz, essa luz tão linda e esse céu tão azul e a planta gigantesca que era sua vizinha – claro, sob seu ponto de vista, a jabuticabeira era uma árvore enorme, muito grande – e ela estava feliz como felizes vivem as plantas quando recebem tudo que precisam. E o sol, o caloroso sol, brilhante, imenso e poderoso fornecendo a ela toda a energia necessária para crescer rápido e forte. Ela se sentia uma planta abençoada.

Sua cuidadora, Susana – nós humanos pensamos que possuímos alguma coisa, mas somos apenas cuidadores temporários, tudo é transitório, inclusive nós – Susana estava novamente internada no hospital tratando seu segundo câncer e sua filha deu lhe de presente uma orquídea muito linda num vaso branco. Orquídeas são muito lindas e exóticas, mas não duram muito e Susana ainda não sabe como replantá-las. Então, quando a orquídea secou, ela resolveu dar àquela plantinha um vaso só para ela.

Abigail estava admirada com sua “casa” nova. De seu pote ela podia ver a jabuticaba e também a horta vertical da Susana do outro lado da varanda. Desse lugar novo ela podia receber mais raios solares e isso era incrível! Foi nessa época que ela começou a ter essas idéias estranhas sobre se mover, claro, agora que ela podia ver a rua, ela via todo mundo se movendo – crianças andando de bicicleta, pessoas de idade, casais passeando, indo e vindo, não se sabe de onde nem para onde e nem porquê. Sua curiosidade começou a lhe provocar coceiras. Abigail se perguntava por que as pessoas podiam se mexer? E correr!!…ela podia ver crianças correndo atrás de um objeto redondo, correndo e gritando no condomínio em frente ao dela. Ela se perguntava o que eles tinham que ela não tinha?

Pernas, é claro, ela pensou. Mas ela sabia que tinha pernas também, ela podia sentí-las dentro da terra – suas raízes – claro que as plantas também têm pernas, elas simplesmente não estão autorizadas a movê-las fora da terra. Isso era de conhecimento universal – uma das incontestáveis leis da natureza. Mas em seus sonhos ela podia sim dançar e sair daquele vaso e dançar ballet e pular e mover seu corpo inteiro. Pelo amor de deus, ela era uma bailarina!!! E todo mundo sabe que bailarinas movimentam todo seu corpo com gestos graciosos e poses energéticas desde suas cabeças até o dedinho do pé. E no fundo de sua alma ela sabia que ela era uma verdadeira bailarina, então, porquê todas essas limitações físicas?

Um dia uma coisa especial aconteceu. Coisas especiais sempre acontecem para plantas especiais!!! Um acidente, um inesperado acidente envolvendo um gato. Sim, havia um gato vivendo naquela casa também. E havia um passarinho, na verdade, dois, que vinham regularmente sorver o doce suco das jabuticabas e todos nós sabemos muito bem que gatos adoram caçar passarinhos – se eles são rápidos o suficiente para conseguir tal feito. Mas Chunks, o gato, já era um gato idoso e seus reflexos já não eram como há quinze anos atrás.

Susana não viu a cena, mas Abigail, que foi involvida no acidente, viu como tudo aconteceu. Chunks viu o passarinho, ele estava sentado na cadeira da varanda perto da mesa aonde estava Abigail, e, então, ele rapidamente pulou na mesa para tentar pegar o passarinho e, acidentalmente, derrubou o pote aonde estava Abigail. Que susto!!! Ela quase partiu suas delicadas pétalas.

O sonhado milagre aconteceu…. ela podia finalmente mover melhor suas raízes. Ela seria capaz de sair, finalmente, do pote de plantas e dançar!!! E assim ela fez, escorregou junto com a terra para fora do pote e iniciou seus primeiros passos de dança e dançou a noite inteira. Enquanto bailava, ela decidiu que nunca mais voltaria para aquele vaso de plantas. Seu mais profundo desejo havia se realizado e ela o estava realizando naquele momento. Ela dançou tanto que começou a se sentir exausta, seus pés/raízes começaram a tremer e ela começou a se sentir cansada, muito cansada e muito fraca. Passado um tempo ela mal conseguia se mexer! Sentiu que iria desmaiar de exaustão! Ela precisava do alimento da terra, de minerais e de água… mas ela estava muito fraca para mover suas raízes novamente. Ela pensou que se descansasse apenas um pouquinho ela estaria bem… mas suas condições estavam piorando e ela estava morrendo.

No dia seguinte, Susana acordou e viu o cenário catástrofico: o pote quebrado, a planta no chão e o gato, Chunks, claro, com a maior cara de inocência do mundo!! Ela ficou com medo de que a planta estivesse estivesse morta, pois estava flácida, sêca e muito danificada, mas ela decidiu que poderia tentar plantá-la novamente.

Abigail estava muito fraca, mas depois de uns dias, estava se sentindo bem outra vez. Se recuperou e se podia ver que estava feliz porque ela tinha conseguido realizar seu grande sonho e estava completamente recuperada. Hoje em dia, em noites de lua nova, ela ainda fica sonhando em conseguir sair novamente do pote de plantas e dançar ballet! Bom, ela aprendeu uma lição, mas estava disposta a repetir aquele experiência mágica se tivesse outra chance de acontecer um milagre. E todos nós sabemos que milagres acontecem uma vez ou outra para as plantas que acreditam nessas coisas bobas.

Logo

Notas: Esta é uma obra de ficção, mas o vaso de planta, a jabuticabeira e o gato são reais. Abigail é real também e ela ainda pensa que é uma bailarina.

Copyright 2020 by Susana Rapallo

SRapallo, Lemon Olive Oil, watercolor and pencil, Brazil, 2020

Aromatic olive oils

March 27th, 2020.

Since I really enjoy cooking, I also develop an habit to prepare aromatic olive oils to use in a regular daily basis. I have eight jars with different sizes and types of olive oil. With sundried tomatoes, rosemary, garlic, black olives, lemon and lemon zests, 3 peppers and pink pepper.

It’s very easy to prepare them and they get better aging in a dark, dry space. After one month you can start using it on everything you normally use olive oil.

SRapallo, Lemon Olive Oil, watercolor and pencil, Brazil, 2020
SRapallo, Lemon Olive Oil, watercolor and pencil, Brazil, 2020

It can be used on bruschetta, meat, fish, salads, and even as a simple pasta sauce!

Ingredients

  • extra virgin olive oil
  • lemon zest and lemon peel
  • half lemon juice

Instructions

  1. Wash and dry the lemon, peel it and make zests, squeeze the lemon and put everything in a jar. Simple as that!!!
  2. Little shake will do no harm
  3. Let is rest is a dark dry place
Logo

(texto em Português)

Azeite aromatizado com limão siciliano

Como eu realmente gosto de cozinhar, há tempos tenho o hábito de preparar azeites aromatizados para usar no dia a dia. Tenho oito jarros com diferentes tipos de azeites aromatizados. Com tomates secos, alecrim, alho, azeitonas pretas, limão siciliano e raspas de limão, 3 pimentas em graõs e pimenta rosa.

É muito fácil prepará-los e com o tempo o sabor vai se apurando se você guardar num lugar escuro e seco. Depois de um mês, você já pode começar a usar seu azeite aromatizado.

Fica delicioso em bruschetta, carnes, peixes, saladas ou até mesmo numa simples massa!

Ingredientes

  • azeite virgem de oliva
  • casca de limão siciliano e raspas de limão
  • suco de 1/2 limão

Instruções

  1. Lave e seque o limão, cortes lascas da pele e raspe a casca. esprema o limão e coloque tudo num pote hermético. Assim de simples!!!
  2. Agite o recipiente fechado para misturar todos os ingredientes
  3. Deixe repousar pelo menos 1 mês num lugar escuro e seco

SUSANA-RAPALLO.COM

SRapallo, Horta, watercolor, Brazil, 2020

My kitchen garden – Minha horta vertical

24 de Março de 2020

Since I’m living in Brazil now, I decide to continue my blog on my native language – Portuguese. But, please, use the translator tool to follow my silly day-by-day experiences on watercolor and cooking.

This is my kitchen garden, on my varanda, in Sao Paulo, Brazil. I have mint, rosemary, sage, oregano, basil, chive and arugula. I also have a jabuticaba tree! I’ll talk about it on another post.

SRapallo, watercolor, Brasil, São Paulo, 2020
SRapallo, watercolor, Brazil, São Paulo, 2020
Logo

Minha filha Carol esteve me visitando em fevereiro e juntas resolvemos montar uma horta vertical na varanda, um projeto que eu já tinha planejado e já havia comprado online os materiais de instalação, como: vasos e suporte de parede. Faltava montar tudo e providenciar terra, pedrinhas e mudas. Decidimos comprar mudas já plantadas, sou muito apressada e essa coisa de esperar sementinha brotar não é comigo. Quero ver tudo pronto de imediato. Coisa de ariana!

O sistema é bem bolado, há um tubo por onde se coloca a água e a planta suga a quantidade necessária. Não faz sujeira e é de fácil manutenção, além de prover tempêros sempre frescos, o que tem sido ótimo e bastante saudável.

Nesses tempos de recolhimento por causa da crise de Covid-19 dá até mais prazer ter mais essa atividade diária além daquelas que eu normalmente já cultivo. Decidimos plantar: manjericão (2 tipos), orégano, alecrim, sálvia, hortelã, rúcula, cebolinha. Nem todas aparecem no desenho, mas elas estão aí também.

Na minha varanda há também um pé de jabuticaba, que tem sido o deleite de passarinhos que aparecem para me visitar no final da tarde. Eles fazem um furinho na fruta para sorver seu néctar açucarado. A jabuticabeira agora já está na segunda florada deste ano e logo mais haverá mais frutas para os meus visitantes voadores.

Nos próximos blogs incluirei algumas receitas que costumo fazer, uma maneira de unir arte a prazer na culinária. Obrigada por visitar minha página.

SUSANA-RAPALLO.COM

Malus Domestica

Another Apples Series… more and more apples. This time I decide to get further into the subject, exploring mythology and more symbolism.

Like the Golden Apple (Atalanas’s Mistake), when Melanion used golden apples to distract Atalanta so that he could win the race and married her, or the story of Venus Verticoria, who was able to change lust into chastity.

Logo

Text in Portuguese

Tradução em português

Mais uma série sobre Maças… mais e mais maças. Desta vez eu decidi me aprofundar no tema, explorando a mitologia e simbolismo.

Como a Maça Dourada (Erro de Atalana), quando Melanion usou maças douradas para distrair Atalana e pode ganhar a corrida e assim, ter o direito de casar-se com ela ou a estória da Venus que era capaz de transformar luxúria em castidade.

The sum of all apples
ARKANSAS BLACK – digitally modified to view more painting details

Available artwork at

https://www.saatchiart.com/susanarapallo